segunda-feira, 9 de abril de 2018

Partes da celebração da Vida!!


Acolhida
Receber e acolher a todos e a cada um é o primeiro gesto importante no Dia da Celebração da Vida. Ao chegar as crianças e familiares devem sentir que sua presença é importante e bem -vinda. É preciso sempre saber escutar de fato as famílias, como passaram o mês, se há algum problema e também partilhar as coisas boas que aconteceram. Muitas mães, pais ou avós, que se sentem sozinhos, precisam sentir que, na Pastoral da Criança, são alguém, estão ligados a um grupo de apoio, são valorizados e amados e que estão juntos para celebrar conquistas, discutir e enfrentar dificuldades.


Momento de reflexão e oração
Esse é o momento de agradecer e louvar a Deus Pai, pelo Filho, no Espírito Santo, pelo dom da vida e pedir sua luz e fortaleza para o cumprimento da missão. Ele deve ser realizado sempre de forma participativa, convidando os pais, mães e responsáveis pela criança para ajudar na preparação e na execução. Lembrando que a espiritualidade desse dia deve ser simples e alegre para agradar às crianças. Vocês podem, por exemplo:
• Fazer uma breve leitura bíblica, com rápido comentário e ligando com a vida concreta de cada dia. Procurar comentar de modo que as crianças também entendam. Isso poderá também ser feito por uma mãe ou um pai que se preparou para essa tarefa.
• Fazer uma oração que possa ter a participação das crianças para que elas possam se sentir sempre inseridas nesse momento, ou recitar um salmo de maneira que todos participem, depois de entender o sentido e a ligação com a nossa vida hoje.
• Cantar um canto com uma boa mensagem, preferivelmente com o acompanhamento de instrumento musical, o que é sempre bem aceito. Ou pedir às crianças que escolham uma música para ser cantada para o "papai do céu". Ouvir e aceitar a que elas escolherem , mesmo que não seja de cunho religioso.
• Ouvir um testemunho dos pais.






Escolha de assuntos
As conversas nesse dia devem sempre procurar responder a uma necessidade das famílias. Por exemplo, várias mães reclamam que as crianças estão ficando gripadas: pensar com elas o que pode estar causando isso, que providências podem ser tomadas em casa ou na comunidade para diminuir ou evitar que as crianças gripem facilmente. Lembrar que nessas conversas, em que estão todas as famílias juntas, não deve ser citado o nome de crianças com problema e sim comentar o problema de forma geral.
Ao destacar uma criança a mãe ou familiar pode se sentir envergonhado ou chateado por sua criança ser exemplo de uma coisa que não está boa. Mãe, pai gostam sempre de ouvir elogios a seus filhos ou filhas, não é? A conversa sobre o problema de cada criança é feita na Visita Domiciliar. Essas conversas não devem ser muito longas, no máximo uns 15 minutos.
Também podem ser colocados assuntos que os líderes vejam como necessidade, por exemplo: as famílias jogam muito lixo nas ruas e a coleta de lixo também é inadequada e procurar juntos as causas e possíveis soluções para o problema. No caso de um assunto como este, que envolve outras famílias da comunidade ou de um tema que precise ser divulgado para elas também, deve ser organizada uma Roda de Conversa em outro dia e com a participação de mais pessoas da comunidade, pois o tema é de interesse de todos.
Alguns temas podem, ocasionalmente, ser desenvolvidos por alguém da comunidade que entenda daquele assunto. Por exemplo:
• saúde física e mental: desenvolvidos por médicos, enfermeiros, dentistas (saúde bucal), psicólogos, fisioterapeutas e outros.
• assuntos de orientação geral: como importância do registro de nascimento; controle social, apresentados por advogados, professores e outros.
• relação fé e vida: por religiosos(as), sacerdotes;
• alimentação: receitas e hortas caseiras, desenvolvidos por nutricionistas, economistas domésticas. Há muitos temas que estão no Guia do Líder e podem ser apresentados e discutidos com todos. Assim, podemos aproveitar e reforçar o conteúdo do Guia do Líder.
Também no Dia da Celebração da Vida ou numa Roda de Conversa podem ser trabalhados alguns temas de acordo com a sugestão do calendário da Pastoral da Criança, por exemplo:
• Outubro: Mês da Criança, Mês Missionário e Hanseníase
• Novembro: Finados (com ênfase na prevenção da morte materna e da infantil)
• Dezembro: Natal, Dengue e Soro Caseiro.

segunda-feira, 5 de março de 2018

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Tempo é mais que dinheiro: 9 dicas para gerenciar bem o seu tempo


Compartilhar
0
Comentar

Aqueles que usam bem seu tempo vivem duas vezes: estas atitudes simples irão certamente ajudá-lo(a)


O tempo, grande aliado ou inimigo, para nós, pode ser muito difícil gerenciar. O tempo é a maior riqueza que possuímos. O tempo perdido é uma das poucas coisas da vida que nunca podemos recuperar. O tempo é a nossa vida, já que tudo o que nos acontece ocorre durante o tempo que a nossa vida dura. Nós somos o que somos, mas mostramos o que somos através do que fazemos, e tudo o que fazemos exige o uso do nosso tempo. Aqui estão algumas dicas práticas baseadas em treinamento pessoal saudável derivado da psicologia positiva.
  1. Trabalhar nas prioridades. Faça uma lista de suas prioridades e tente fazer a atividade mais difícil pela manhã quando sua energia e concentração estiverem no auge. Aprender a priorizar é uma boa maneira de aprender a ser eficaz. Aplique-se nas tarefas mais complexas o mais rápido possível. Quanto mais você as adiar, mais difícil será para você fazê-las. Atribua um horário específico para o que é mais importante.
  2. Planejar eventos de acordo com os objetivos. Completamos os objetivos mais rapidamente quando temos um prazo. O uso fiel de um planejador diário é essencial para que possamos ter uma visão geral completa do ano.
  3. Não improvisar sua semana. Organize sua semana designando dias específicos para realizar tarefas específicas. Por exemplo, use segundas e quartas-feiras para se concentrar em ver clientes e fazer vendas; mantenha as terças e quintas-feiras para escrever cartas e trabalhar em estratégia, e as sextas-feiras, trabalhe pela manhã e estude à tarde. Os fins de semana são para atividades livres, esportes, lazer… E assim por diante. Definir com critério seu uso diário de tempo ao longo da semana é uma ótima ferramenta para aumentar a eficácia.
  4. Tentar comunicar-se claramente. Lide com as situações de frente. Não tente adivinhar o que alguém queria dizer em um e-mail confuso; simplesmente vá e lhe pergunte. Isso economizará tempo e energia e evitará erros. Uma comunicação clara é a chave.
  5. Cultivar a arte da delegação. Aprenda a delegar mais tarefas. Quando você realmente começar a fazê-lo, você perceberá como seu papel e seu trabalho alcançarão o próximo nível. Compreenda quais atividades você faz bem e delegue para outras pessoas as atividades que realmente não são sua área de competência. Para delegar efetivamente, você precisa agir com previsão. Para esse fim, é uma boa ideia dedicar alguns minutos a cada dia para organizar cada hora para seu melhor proveito.
  6. Procurar o equilíbrio no seu uso do tempo. Registre o que você faz a cada hora por uma semana – desde quando você se levanta até quando você vai dormir. Desta forma, você poderá ver se você precisa ou não fazer mudanças em sua vida e sua agenda para alcançar um maior equilíbrio: tempo para dormir, comer, socializar, passar um tempo agradável com sua família etc., respeitando suas horas de trabalho de acordo com as prioridades que você definiu.
  7. Dar importância ao exercício e ao descanso. Pessoas que têm muito trabalho a fazer geralmente esquecem de cuidar de seus corpos. Fazer exercícios regulares irá ajudá-lo a eliminar toxinas, ter mais energia, aumentar sua concentração e dormir melhor. Negligenciar sua própria saúde física é a pior maneira de gerenciar uma agenda muito ocupada.
  8. Fortalecer sua capacidade de concentração. Às vezes, você precisa diminuir a velocidade para fazer melhor um trabalho. No entanto, você trabalhará mais rápido se você reduzir suas distrações e se concentrar em apenas uma tarefa. Aprenda a dizer “não” às distrações e a outras pessoas quando se concentrar em tarefas que você precisa cuidar antes de um prazo específico.
  9. Relaxar. Uma boa risada todos os dias é essencial para reduzir a tensão. Ser responsável não precisa nos levar a ver tudo tão a sério que não sabemos mais aproveitar a vida. Dar a cada coisa a sua importância adequada – nem mais nem menos – é essencial para permitir que nossa psique funcione de forma pacífica e produtiva.
Aqueles que usam bem seu tempo vivem duas vezes. O mais importante não é apenas a nossa eficácia na realização de nossas tarefas, quer sejam profissionais, pessoais ou familiares; em vez disso, o que importa é que, quando você usa seu tempo bem, você também tem mais tempo disponível para gastar com seus entes queridos, que é a verdadeira substância da qualidade de vida.

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Por que as crianças devem brincar na natureza? A resposta está em nós, adultos

 
Adultos que hoje se sentem distanciados da natureza podem encontrar apoio e inspiração em suas próprias memórias da infância, período em que podiam brincar livres com ela, nela. Até a década de 1970, as crianças ficavam mais ao ar livre, inventando brincadeiras, sem, necessariamente, a supervisão de adultos. Foi a partir dessa década que os carros começaram a ocupar as cidades, tornando a vida ao ar livre menos segura e perigosa, principalmente para os pequenos. Assim, pouco a pouco elas foram se recolhendo aos quintais e áreas externas dos prédios até que, hoje, nem a esse espaço muitas crianças têm acesso.
Assim, pais e educadores que hoje estão na faixa dos 40-50 anos, provavelmente têm muita história pra contar sobre suas brincadeiras de infância. E os mais jovens devem ter também muita recordação boa de suas brincadeiras nos quintais e nas áreas de recreação dos prédios.
Eu, Rita, por exemplo, lembro da forte sensação de liberdade e alegria quando brincava livre nas ruas de terra da cidade de interior onde morava, e adorava os dias de chuva em que podia brincar na enxurrada imaginando cachoeiras, e voltava pra casa toda molhada e cheia de lama.
Eu, Ana Carol, tenho a lembrança forte das gargalhadas ao descer rolando um declive gramado. Também é intensa a lembrança do quintal da minha avó, que era repleto de plantas, de diferentes tipos, cores e que naquele momento me parecia uma floresta, e que era cenário de muitas aventuras com meu primo.
Todas essas memórias e histórias são parte do que somos hoje. Você já pensou em compartilhar essas memórias? Sentar sem pressa, junto com outros adultos, de diferentes idades, e conversar, contar essas histórias, compartilhar esses sentimentos. É um processo importante para trazer à tona a importância de brincar livre e com a natureza. Este tempo de estar junto para revisitar memórias, contando causos, rindo, está cada vez mais raro. Estar próximo, sentir a presença do outro, nos conectarmos às pessoas pelo toque, pelo olhar, pelas emoções, torna tudo mais intenso.
Frequentemente buscamos pesquisas de universidades famosas, estudiosos do assunto para justificar as necessidades básicas das crianças. Essas pesquisas são muito importantes, claro, e temos muito que incentivar cada vez mais esses assuntos na academia. No entanto, muitas das respostas estão em nós mesmos, nos caminhos trilhados com o pé no chão, nas comidinhas de terra e folha, nos saltos sobre poças de lama. Por que as crianças devem brincar livre e com a natureza? A resposta está em nós mesmos.
Foto: Fabi Lopes
Ana Carolina é pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica, e trabalha com primeira infância. Rita é bióloga e socióloga, ministra cursos, vivências e palestras para aproximar crianças e adultos da natureza. Quando se conheceram, em 2014, criaram o projeto “Ser Criança é Natural” para desenvolver atividades com o público. Neste blog, mostram como transformar a convivência com os pequenos em momentos inesquecíveis.

FONTE: SITE CONEXÃO PLANETA

sábado, 6 de janeiro de 2018

NAS FÉRIAS TAMBÉM TEM CELEBRAÇÃO DA VIDA

O Dia da Celebração da Vida é outra atividade importante que o líder da Pastoral da Criança realiza. Nesse dia, que acontece uma vez por mês, as famílias se reúnem para celebrar as gestantes e crianças que estão bem e para se ajudar quando estão em dificuldades.
O encontro deve ser um momento de fortalecer o sentimento de família, que torne possível unir as pessoas para “viverem em comum”, que é o sentido de comunidade. Nele são estreitados os laços de fraternidade entre gestantes e seus companheiros, mães, pais, familiares e é valorizada a responsabilidade de uns pelos outros. Todos se juntam na busca de mudanças na melhoria da qualidade de vida das famílias e, portanto na das crianças e gestantes.

O lugar escolhido para essa celebração, em geral, fica perto de onde as famílias moram e se adequa à realidade da comunidade. É bom que os grupos não sejam muito grandes, para que as famílias possam se sentir carinhosamente acolhidas, fiquem bem acomodadas, tenham oportunidade de falar, e as crianças tenham espaço para brincar.

O dia da Celebração da Vida é um testemunho vivo de fé. Mostra a solidariedade e a participação de uma comunidade na busca de seus direitos de cidadania. Por isso, é um dia abençoado por Deus.



terça-feira, 5 de dezembro de 2017

PARABÉNS A TODOS OS VOLUNTÁRIOS DA PASTORAL DA CRIANÇA

José Antonio Coleti
PARABÉNS A TODOS OS VOLUNTÁRIOS DA PASTORAL DA CRIANÇA QUE SE DEDICAM DOANDO UMA PARTE DOM SEU TEMPO PELO BEM DE NOSSAS CRIANÇAS E GESTANTES, DIA 5 DE DEZEMBRO ...
Ver mais

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Mais uma celebração da VIDA

Neste sábado tivemos mais uma animada celebração da vida, com a presença da nossas famílias, líderes e colaboradores. Obrigado pelas doações!!!






sexta-feira, 24 de novembro de 2017

CAPACITAÇÃO PARA ALIMENTAÇÃO E HORTAS CASEIRAS




DIVULGANDO:
 
Pastoral da Criança Diocese de Caxias do Sul adicionou 7 novas fotos.
❇️❇️❇️ CAPACITAÇÃO PARA ALIMENTAÇÃO E HORTAS CASEIRAS
A Pastoral da Criança da Diocese de Caxias do Sul, esteve reunida nos dias 21 e 22 de outubro, para a realização da Capacitação para Alimentação e Hortas Caseiras. O encontro foi realizado no Centro Diocesano de Pastoral e contou com líderes de diversos ramos da diocese.
 









Sob orientação da capacitadora Suzana Casagrande dos Santos, os líderes puderam aprender mais sobre a utilização de cascas, talos e sementes, com o intuito de fazerem uma alimentação mais saudável e rica em vitaminas, proteínas, ferro, entre outras substâncias importantíssimas para o bom desenvolvimento de nossas gestantes e crianças. Além disso, falou-se da importância de que todas as famílias cultivem suas horas caseiras, com pelo menos, três espécies de hortaliças.
A missão de cada líder capacitada é, retornar aos seus ramos, e multiplicar o conhecimento adquirido, capacitando as demais líderes. A capacitação deverá ser realizada já neste mês de novembro, cumprindo o cronograma de horas curriculares já proposto pela metologia da Pastoral da Criança.
Acompanhe algumas fotos deste belíssimo trabalho!

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

A vinha e os vinhateiros - Vídeo Mensagem da Ir. Veneranda (08/10/2017)





A parábola apresentada pelo Evangelho desta semana, tem uma mensagem clara: o Reino de Deus será tirado dos maus dirigentes e entregue ao povo que produz frutos e semeia tudo que é verdadeiro.