terça-feira, 22 de novembro de 2016

10 alimentos que não podem faltar no prato das crianças

Fonte: site minhavida

Variedade é muito importante, mas com esses itens a chance de errar nas refeições é bem menor

POR NATHALIE AYRES PUBLICADO EM 20/09/2016
A alimentação é importantíssima para o crescimento das crianças e quanto mais nutrientes, melhor! "Entre os nutrientes mais importantes nessa fase estão os carboidratos, proteínas, vitaminas A e C, ferro, zinco e cálcio", explica a nutricionista Helen Lopes, especializada em nutrição na infância e adolescência pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Menina brinca colocando duas fatias de laranja no lugar dos olhos -
Além da laranja, outros 9 alimentos são fundamentais para seu filho crescer saudável
No entanto, por mais que a variedade seja a chave, alguns alimentos sozinhos podem garantir esses nutrientes e são indispensáveis no cardápio dos pequenos. Conversamos com especialistas para entender quais são eles. Confira a lista abaixo:

Ovo

O ovo é uma ótima fonte de gorduras e proteínas. Na clara estão proteínas como a albumina, muito usada por atletas para o crescimento muscular. Já a gema tem diversas vitaminas lipossolúveis, como a A e um pouco de vitamina D e K.

Essa parte do ovo também é rica em colina, "um nutriente muito relacionado ao desenvolvimento das estruturas do cérebro, por participar da formação do neurotransmissor acetilcolina, que ajuda na transmissão de impulsos nervosos", explica Clarissa Fujiwara, coordenadora de Nutrição da Liga de Obesidade Infantil do Hospital das Clínicas (HC-FMUSP).

Arroz e feijão

Esse combo é importante para a saúde em qualquer idade, principalmente na infância. "Há um equilíbrio nessa mistura, uma vez que o arroz é deficiente no aminoácido lisina e possui metionina, e o feijão é justamente o contrário", explica a nutricionista Paula Crook, membro da PB Consultoria em Nutrição e especialista em nutrição infantil.
Além disso, separadamente cada um deles traz características complementares: enquanto o arroz é uma ótima fonte de energia, o feijão traz proteínas e fibras. Tanto que mesmo quando você consome o arroz branco com a leguminosa, a absorção dos carboidratos na refeição se torna mais lenta, portanto, mais saudável.

Banana

A banana é uma das frutas mais bem aceitas entre as crianças e traz diversas características positivas para a saúde. Como enumera a nutricionista Alessandra Coelho, especialista em Nutrição Enteral e Parenteral (SBNPE), ela é rica em magnésio, potássio, vitaminas do complexo B e triptofano, que ajudam na saúde dos ossos, músculos, sistema nervoso e cardiovascular e na manutenção do bom humor.
Além disso, a fruta pode ajudar na escola! "Estudos recentes revelam que as crianças que comem banana de manhã mantêm um bom nível de atenção durante o dia", considera Helen Lopes. Portanto, vale a pena investir na fruta.

Abacate

O abacate costuma ser mal visto por causa da alta quantidade de gorduras. No entanto, é aí que está seu maior trunfo nutricional.
"A fruta contém gorduras monoinsaturadas, essenciais para o bom desenvolvimento do sistema nervoso central do bebê e para controlar o nível do colesterol", reforça Helen. O abacate não é a única fonte desse tipo de gordura, que também está presente no azeite e nas oleaginosas.
Para uma melhor aceitação, o abacate pode ser misturado com outras frutas em vitaminas, como a manga ou a banana.

Laranja

A laranja é uma das fontes mais conhecidas de vitamina C. "Essa vitamina é importante para a cicatrização, na formação dos ossos e do colágeno e ajuda na absorção do ferro", explica Clarissa Fujiwara.
Mas não é só desse nutriente que ela é composta: o bagaço da fruta é rico em fibras, que ajudam na saciedade e também alimentam as bactérias do intestino.
Outras frutas ricas nessa combinação são mexerica, mamão, acerola, limão, morango e outras frutas vermelhas, kiwi, abacaxi e maracujá.

Cenoura

A cor alaranjada da cenoura sinaliza que ela é um alimento rico em carotenoides. "Esses nutrientes são precursores da vitamina A, uma potente antioxidante que ajuda na saúde dos olhos e da pele", afirma a nutricionista Dyandra Loureiro, pós-graduada em nutrição pediátrica, escolar e na adolescência pela Universidade Gama Filho.
A cenoura também é rica em fibras e em potássio, sendo interessante para crianças em fase de crescimento. Além disso, ela é mais fácil de ser consumida por causa do gosto adocicado.

Brócolis

Nem sempre o brócolis é bem aceito pelas crianças. No entanto, ele possui diversos nutrientes importantes e vale a pena insistir que o pequeno prove o alimento.
"A verdura é uma boa fonte de vitamina C, carotenos e folato. Também apresenta boas quantidades de proteína, cálcio, ferro e alto teor de fibras", explica Paula Crook.
O ideal é apresenta-lo às crianças de formas diferentes, aproveitando seu formato em flor para montar pratos mais lúdicos. "Dá para inseri-lo em preparações que a criança goste, como tortas, preparado com o arroz ou até cozido com a carne", enumera Clarissa.

Oleaginosas

Aqui estamos falando de um grupo, mas que normalmente é oferecido em conjunto às crianças através de um mix com castanhas, nozes, amêndoas e outras. A vantagem desses alimentos é que são ricos em ácidos graxos insaturados.
"Eles têm alta concentração de ômega 3, 6 e 9, gorduras boas para o desenvolvimento cerebral e para dar mais energia aos pequenos", explica Helen.
Além disso, é muito fácil oferecê-los em lanches para crianças. Sua consistência crocante ajuda a torná-los mais aceitáveis. Só cuidado para não oferecer versões prontas e ricas em sódio!

Carne

Esse alimento é mais polêmico, mas traz uma série de benefícios para as crianças. As carnes, sejam de boi, porco, frango ou peixe, são ricas em proteínas, ferro, zinco e vitaminas do complexo B.
"A vitamina B12 é importante para o desenvolvimento cognitivo e neurológico. Já o ferro da carne é mais bem absorvido pelo corpo", explica Clarissa.
Para famílias que não consomem carne, existem opções para repor esses nutrientes em outros alimentos. Enquanto os ovo-lacto-vegetarianos podem consumir proteínas provenientes de leite, ovos e queijos, outros grupos de vegetarianos podem ter mais dificuldade por não ingerir esses alimentos.
Mas é possível contornar a situação: "As leguminosas são ricas em proteínas vegetais: não só a soja, como o feijão, a lentilha, o grão de bico, entre outras", considera a especialista, indicando as possíveis substituições.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Dia da Criança: momento de interação e de cuidado com a obesidade

1306 dia da crianca e prevencao da obesidade entrevista
Foto: Acervo da Pastoral da Criança
Neste Dia da Criança (12 de outubro), a Pastoral da Criança chama a atenção para mais uma data que é celebrada na mesma semana, mas que nem sempre recebe o mesmo destaque: o Dia Nacional de Prevenção da Obesidade (11 de outubro).
O retrato atual da realidade traz números que poderiam sobrecarregar até a balança mais reforçada. Por um lado, o Brasil avançou no combate à miséria e ao baixo peso infantil. Por outro, seguindo uma tendência mundial, teve um crescimento no número de brasileiros com sobrepeso e obesidade em todas as idades e regiões do país. 7,3% das crianças menores de 5 anos estão com excesso de peso. Na faixa etária de 5 a 9 anos, este percentual chega a 33,5%. Na adolescência, o índice fica em 20,5%. Entre os adultos, já atingiu metade da população. Os dados são da 2ª edição do Sistema Nacional de Indicadores em Direitos Humanos (2015) – matriz articulada de indicadores que inclui dados da Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde (PNDS), do inquérito telefônico Vigitel, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Ministério da Saúde.
As pesquisas demonstram, ainda, que o estado nutricional na primeira infância tem consequências na vida adulta. Os casos de excesso de peso, em geral, estão associados ao desenvolvimento de doenças – como problemas do coração (maior causa de mortes no mundo), diabetes, vários tipos de câncer, depressão e estresse. Por isso, a prevenção da obesidade infantil deve começar desde a gestação e continuar nos primeiros anos de vida da criança. Três fatores principais contribuem para o excesso de peso infantil: genética; sedentarismo; e, principalmente, os maus hábitos alimentares (que muitas vezes refletem os costumes da família).
Confira a entrevista com a Ir. Veroni Medeiros, educadora e assistente técnica da coordenação nacional da Pastoral da Criança, que apresenta como o brincar e a convivência em família podem contribuir para mudar essa realidade. Neste Dia da Criança, ao invés de focar em presentes e compra de brinquedos, que tal investir tempo e animação para proporcionar atividades para a criançada se movimentar?
veroni medeiros
Irmã Veroni Medeiros

Na vida agitada de hoje, por que é importante comemorar o Dia da Criança?

O Dia da Criança quer recordar aos adultos que as crianças precisam brincar muito. O Dia da Criança é um momento importantíssimo para criar algo diferente da rotina diária. Um dia mais saudável e mais feliz. As crianças que correm, que pulam e brincam livremente são mais saudáveis e elevam, com isso, a sua autoestima.

Como trocar as guloseimas que normalmente são dadas às crianças nesse dia por alimentos saudáveis?

A sugestão é trocar essas guloseimas por alimentos saudáveis. Deixá-las preparar algumas comidinhas, sempre com a supervisão dos pais, é claro. Quem sabe convidá-las para ajudar na cozinha? Ou fazer aquele bolo de cenoura que só a mamãe sabe fazer? Preparar um pequeno canteiro onde as crianças possam plantar algumas verduras ou plantinhas de seu gosto.

Hoje, uma das principais causas da obesidade nas crianças é o sedentarismo. Como as atividades no Dia da Criança podem ajudar na prevenção da obesidade?

Vamos aproveitar este dia para proporcionar uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos através de brincadeiras. Tudo isso ajuda a prevenir e combater a obesidade infantil. Insisto que as crianças precisam brincar muito, se movimentar. Isso torna a criança mais feliz e mais saudável.

E como o brincar colabora pra sustentabilidade do planeta?

Cada vez mais as crianças estão sendo alvo do consumismo. E o consumismo vai na contramão da sustentabilidade. Montar brinquedos com materiais recicláveis é uma ótima ideia. Além de estimular a criatividade das crianças, é possível reutilizar materiais alternativos, como sucatas ou materiais extraídos da própria natureza. Vamos fugir da rotina e aproveitar ao máximo o Dia da Criança! O planeta agradece o cuidado que devotamos a ele.
Saiba mais: O que está por trás dos alimentos que prometem a felicidade (reportagem especial da quinta edição da Revista Pastoral da Criança).
Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança. Ouça o programa de 15 minutos na íntegra
Programa de Rádio 1306 - 10/10/2016 - Dia da Criança e prevenção da obesidade

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Cristo nos cura constantemente - Vídeo mensagem da Ir. Veneranda (09/10/16)





Nesta semana em que celebramos o Dia de Nossa Senhora Aparecida e o Dia das Crianças, 

a mensagem do Evangelho é sobre como Cristo nos cura constantemente.

EVANGELHO: Lc 17,11-19

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Fica sempre comigo, Senhor

Segunda-feira da vigésima quarta semana do Tempo Comum

A misericórdia de Deus não é uma ideia bonita, mas uma ação concreta.

A misericórdia de Deus não é uma ideia bonita, mas uma ação concreta. Não existe misericórdia sem concretização. A misericórdia não é fazer um bem “de passagem”; significa comprometer-se onde está o mal, onde há doença, onde há fome. Onde há tantas explorações humanas. E até mesmo a misericórdia humana não é autêntica – ou seja humana e misericórdia – enquanto não alcança a concretização no seu agir diário.
— Papa Francisco - Catequese para o Jubileu dos Agentes da Misericórdia, 3 de setembro de 2016

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Aproveitamento integral e reaproveitamento de alimentos para mais economia e saúde

1295 como evitar desperdicio alimentos cpf2
Foto: Arquivo da Pastoral da Criança
Uma batatinha pode ser assada, fazer parte de uma sopa e também virar um purê. As opções são muitas e não devem resumir-se ao primeiro pensamento. O que é comum, entretanto, é ver a casca da batata virar lixo, o que não deveria ser regra. Se bem lavada, é possível transformá-la em um suculento petisco. Se essa não for a opção, ela pode ainda fazer parte do adubo orgânico, que servirá para nutrir hortas caseiras.
Por este motivo, nenhuma fruta, legume ou verdura deve ser visto como apenas uma opção de alimento. Todos eles oferecem várias possibilidades. O feijão que sobrou pode transformar-se em uma sopa. Frutas que estão muito maduras podem virar compotas e geleias. Saber aproveitar todos os nutrientes de um alimento pode significar mais saúde para a família e menos gastos para os responsáveis pela casa.
Dra. Zilda
“Como é bom transmitir amor e alegria a todos, o mesmo amor que Jesus demonstra por cada um de nós”.
Papa Francisco
“Não podemos habituar-nos às situação de degradação e miséria que nos rodeiam. Um cristão deve reagir”.
A Pastoral da Criança busca estimular entre as famílias acompanhadas o olhar para o aproveitamento integral dos alimentos. A ação Alimentação Saudável e Hortas Caseiras, por exemplo, procura colaborar para minimizar o gasto da família com alimentos e incentivar o consumo de legumes, frutas e hortaliças para uma alimentação mais diversificada e nutritiva. 
Em Santo Amaro (SP), voluntários da Paróquia Nossa Senhora do Carmo foram capacitados na ação Hortas Caseiras no mês de maio, e agora podem indicar com mais propriedade técnicas de proveito dos alimentos. “Foi um momento de espiritualidade celebrar o cozimento dos alimentos para melhor aproveitamento de todos os ingredientes”, contou a coordenadora da Pastoral da Criança da Paróquia, Aline Cristina de Almeida Freitas.
A ideia vai ao encontro do que orienta o Ministério da Saúde, através do Guia Alimentar para a População Brasileira, que pretende promover a saúde e a boa alimentação, combatendo a desnutrição e a obesidade no país. 

Nova realidade

Uma história da ação mostra a importância de se tratar sobre o tema. Em 2011, ao visitar uma comunidade de Sítio Alto em Simão Dias, diocese de Estância, Sergipe, Irmã Fausta – na época coordenadora estadual, ouviu uma história que a deixou emocionada. “A coordenadora da comunidade me chamou à parte e perguntou se eu via uma casa bem distante pintada de branco. Respondi que sim”, conta a religiosa. Segundo a Irmã relata, a coordenadora disse que atrás daquela casa tinha um espaço bem grande, cercado e que era chamado de cemitério das crianças, e que “desde que a Pastoral da Criança chegou por lá e começou a atender aquela comunidade, inclusive com as capacitações em Hortas Caseiras e Alimentação Saudável, ali naquele cemitério nunca mais foi enterrada nenhuma criança”.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

"COLOCAR-SE A SERVIÇO"




Bom dia !
15 de julho de 2016
"COLOCAR-SE A SERVIÇO"
"Quem quiser ser o primeiro entre vós seja o servo de todos"(Mt 20,27)
A primazia do amor é a primazia do serviço.
A humildade será rainha no céu se for rainha na terra.
Poderia listar uma infinidade de alusões feitas por Jesus sobre a grandeza de quem se coloca a serviço dos demais.
Na história muitos tornaram-se gigantes da fé e heróis da caridade, lembrados mesmo depois de muitos séculos, como é o caso de Francisco, o pobre de Assis.
Abraços 
Apolonio